OPA Astrology Store LogoAstrologia e Hipnoterapia

Posted in Portuguese

Astrologia e Hipnoterapia

Ainda que, de forma cada vez menos frequente, ainda me questionam bastante sobre a minha escolha de dividir a minha prática profissional entre a Astrologia e Hipnoterapia.

Á medida que o tempo foi passando, desde o momento em 2009 que, tendo já quatro anos de prática de consultoria astrológica, foram ficando ainda mais evidente os ganhos desta interdisciplinaridade.

Seja na prática de consultoria astrológica, seja na prática da Hipnose Clínica e Hipnoanálise, sinto que as competências e recursos se apoiam mutuamente e assim

Principais contributos da Hipnose Clínica para a Consultoria Astrológica

Padrões de linguagem:

Ajudaram me a tomar maior consciência sobre a comunicação, em especial no que se refere à transmissão da informação astrológica, porque todos sabemos que mais importante do que dizemos é como dizemos. E quem não se deparou nesta prática não se deparou já com esta questão? Como transmitir certas informações garantindo que o impacto das mesmas não prejudique o equilíbrio emocional do individuo?

Estabelecimento de rapport :

Uma das premissas fundamentais da prática da Hipnose Clínica, trata da força da aliança terapêutica que, por sua vez, sendo estabelecida corretamente garante os elementos necessários ao processo terapêutico e essa já estava garantida na sessão astrológica.

Depois a aprendizagem das várias técnicas especiais que visam estabelecer a relação empática veio consolidar e melhorar a minhas competências no aconselhamento.

Princípio da utilização:

Trata-se doutra das premissas fundamentais e uma das que mais me identifico, quer como terapeuta quer como conselheira astrológica. Sempre achei mais importante focar-me no que já lá está de bom do que procurar o que ainda não há. Dito de outra forma, a minha perceção é que a grande maioria das pessoas que conheço, não está consciente das suas melhores qualidades e talentos. Daí que escolho centrar-me nesses aspetos o que ajuda a motivar para as mudanças que sejam necessárias.

Milton Erickson foi responsável por uma verdadeira revolução na prática da Hipnose e uma das suas propostas foi este princípio de utilização de tudo que o consulente traz para a consulta. Consciencializar-me a respeito da importância terapêutica desta premissa, alterou a minha postura comunicacional nas sessões de aconselhamento e creio ter melhorado os resultados na receção da informação astrológica.

O uso de metáforas e a ressignificação:

Outro dos grandes contributos de Milton Erickson foi quanto à importância da linguagem simbólica na comunicação terapêutica. Um dos aspetos da sua prática que mais surpreendeu os profissionais da época foi a forma como ele contava histórias aos seus pacientes e o sentido terapêutico das mesmas.

Para quem conhece a linguagem astrológica, sabe que esta é simbólica por natureza e excelência.

Por inerência desta caraterística, o uso de metáforas é natural no aconselhamento astrológico, mas ficou ainda mais fundamentada a par com a importância da ressignificação de eventos e emoções, porque acredito que, de nada serve saber muito sobre Astrologia e “inundar” os nossos clientes com informação vazia de significado pessoal. Assim, aprender a utilizar estas duas ferramentas foi muito importante na minha prática profissional como conselheira astrológica.

Principais contributos da Astrologia na prática da Hipnose Clínica

Quando se trata de Hipnose Terapêutica, que é algo bem diferente da Hipnose de palco, falamos duma terapia modelada ao consulente, reconhecendo as suas especificidades e história de vida. Contrariamente a outro tipo de psicoterapias é a abordagem que se adapta e não o individuo que tem que se encaixar em padrões estabelecidos.

Nesse sentido, embora faça como qualquer outro profissional a habitual anamnese procurando recolher toda a informação necessária para estruturar o plano terapêutico, o acesso, sempre que possível e sempre com a devida autorização do consulente, ao tema astrológico natal permite-me encontrar importantes caminhos de acesso á estrutura da personalidade e assim todo o processo pode ser encurtado em termos de tempo e a modelagem específica do plano terapêutico facilitada.

De todos os tipos de leituras astrológicas possíveis dum horóscopo, há algumas que são de maior relevância neste trabalho, eis as que me parecem mais importantes:

Posicionamentos em casas de água:

Casa 4:

Enquanto descritivas das experiências emocionais de infância e do tipo ligação com as figuras de vinculação podem revelar dados que um outro tipo de análise poderia exigir incontáveis sessões. Devidamente reconhecidas serão a base para a mudança de padrões necessários para que a homeostasia psicológica seja alcançada.

Casa 8:

A forma como encara os processos de mudança, resiste ou antecipa as crises, são temas que emergem da casa 8. Os aspetos habituais da análise astrológica, ou seja, o signo da cúspide, o regente com o seu posicionamento e aspetos e posicionamentos aí colocados, dão pistas preciosas para perceber como o processo se desenrolará, assim como de que forma as mudanças serão processadas pelo consulente.

Casa 12:

Os mais profundos temas presentes no inconsciente, vivências ocorridas durante a vida intra- uterina e ligações com o passado de outras vidas, são, como sabemos, os dados que podemos retirar da análise dos vários aspetos desta casa. Talvez seja esta a leitura astrológico mais útil ao processo terapêutico dado que estas pistas recolhidas permitem, com as técnicas regressivas induzir o consulente no caminho mais adequado ao seu tema.

Nem sempre as pessoas que procuram esta terapia buscam a regressão a vidas passadas, mas caso os dados da casa 12 assim o indiquem, e caso não existam objeções das mesmas, apresentar essa possibilidade pode revelar-se muito útil.

Planetas Retrógados :

Esta análise, que se rege pelos pontos habituais, como o posicionamento por signo e casa e os aspetos com outros planetas, são pistas de grande importância para padrões e assuntos cármicos, que estão muitas das vezes na origem dos problemas sentidos pelas pessoas que procuram terapia. Em se tratando de planetas pessoais é ainda mais útil esta informação para a condução do processo regressivo.

Signo Ascendente

Os dados do signo ascendente, posicionamentos planetários conjuntos ao ascendente, aspetos e posicionamento do regente do ascendente: todos estes elementos nos dão as indicações necessárias para perceber como a pessoa aborda a vida, de que forma ela coloca em prática a sua personalidade. Ora, como já foi dito, se a terapia por Hipnose deve ser modelada de acordo com o indivíduo, é fácil de entender a relevância destas informações.

Posicionamento por casa e signo e aspetos de Mercúrio

Enquanto descritor da forma como se organiza mentalmente, o que nos dá dados claros sobre o tipo de processos de aprendizagem, assim como, os processos de comunicação naturais do sujeito, Mercúrio é, tal como a simbologia da mitologia deste planeta nos sugere, quando o descreve como mensageiro dos deuses, o único com acesso livre às várias dimensões, dos céus aos infernos, dos deuses aos mortais. Dá-nos assim a verdadeira chave para entrar no mundo da alma e personalidade das pessoas.

Se tivesse que escolher apenas um destes pontos referidos para análise dos horóscopos dos meus consulentes, creio que me ficaria pelos dados de Mercúrio.
Uma vez que a Hipnose é acima de tudo comunicação, processada aos mais vários níveis do sujeito, atingindo níveis não conscientes, inacessíveis a outras formas de psicoterapia, é por excelência uma atividade mercuriana.

De acordo com a definição da Organização Mundial de Saúde (OMS), a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social. E quem mais do que Mercúrio, tem competências para gerir o nível de eficácia comunicacional entre os vários aspetos internos (psicológicos) e externos (sociais, económicos e culturais)?

Termino esperando ter contribuído para uma reflexão sobre a importância da interdisciplinaridade na área do aconselhamento terapêutico.

 

Nota: Partes deste artigo foram originalmente escritas para o Jornal 4 Estações da Associação Portuguesa de Astrologia,(edição 13 ) tendo sido agora revisto e atualizado.

$